29/10/2020 04:51

Sudene sabatina aposta em tecnologia

image

A Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) participou de reunião, nessa quarta-feira, 14, em Brasília, com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que contou com a participação do superintendente da autarquia, Evaldo Cruz Neto, em que se discutiu sobre investimento em tecnologia. Para viabilizar a aplicação de recursos, a Sudene criou o INOVA + NE, um programa de governança do percentual de 1,5% relativo ao retorno das aplicações do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), que administra. As atividades apoiadas devem ser de interesse do desenvolvimento regional. 

Segundo a Coordenação de Estudos e Pesquisa, Avaliação, Tecnologia e Inovação da Sudene, o programa será custodiado e operacionalizado pelo Banco do Nordeste e aplicado na forma regulamentada pelo Conselho Deliberativo da Sudene (Condel), no contexto do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). 

Alavancagem de recursos por meio da subvenção econômica; fortalecimento do Sistema Regional de Inovação (SRI); e protagonismo das Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) são os três pilares do INOVA + NE. A Sudene se propõe a negociar com o Banco do Nordeste e com os estados de sua área de atuação, através do Condel, para alavancar os recursos, na expectativa de que eles alcancem um montante de R$ 11 milhões. 

Para a Sudene, a estratégia de subvenção econômica é fundamental para fomentar a inovação e visa ampliar os gastos em P&D, compartilhando custos e riscos. A equipe da autarquia responsável pelo programa explica que “segundo o FINEP, no Brasil existe um grande gap no financiamento a ideias inovadoras de empresas iniciantes (startups). Há, portanto, um ‘vale da morte’ entre academia e mercado que precisa ser superado. Por isto o estímulo estatal ao aumento de gastos em P&D por parte das empresas é essencial no modelo do SRI”. 

Em relação às FAPs, a ideia do INOVA + NE é que elas apoiem projetos de pesquisa, ensino e extensão e de desenvolvimento institucional, científico e tecnológico de interesse das instituições federais contratantes, atuando como canais das instituições de pesquisa e universidades junto a entidades e empresas públicas e privadas para a realização de atividades de cooperação técnicas e prestação de serviços. 

A reunião foi prestigiada pelo diretor de Planejamento, Raimundo Gomes de Matos, e pelo chefe de Gabinete, Carlos Santos (ambos da Sudene), além de Claudio Olany A. Oliveira (coordenador geral de Tecnologias Estratégicas), Júlio Semeghini (secretário executivo), Paulo César Alvim (secretário de Empreendedorismo e Inovação) e José Eduardo Portella Almeida (chefe de Gabinete da Secretaria de Estruturas Financeiras e de Projetos), do MCTI.

 

Atendimento Online pelo WhatsApp