23/01/2021 11:35

Prisões e apreensões

Além disso, de janeiro a dezembro do último ano, 16.124 pessoas foram presas ou apreendidas no âmbito do 11º Departamento de Montes Claros. “Destacamos que fazem parte desse número as várias prisões de suspeitos de cometerem crimes violentos, efetuadas pela PC, quando foram deflagradas 148 Operações no Norte de Minas, somada a força de trabalho dos plantões policiais que recepcionaram ocorrências, ininterruptamente, ao longo de todo o ano”, ressaltou o chefe de departamento. 

Ainda conforme o delegado Jurandir Rodrigues César, no mesmo período, 2274 mulheres vítimas de violência doméstica foram atendidas pelas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher, em efetiva aplicação da Lei Maria Penha. Também foram realizadas várias ações que resultaram na apreensão de drogas nesse período, totalizando 637 quios, comparando com 2019, houve um acréscimo de 40% de substâncias apreendidas na região. “As operações de repressão ao crime organizado foram preponderantes para melhorar os índices, com inteligência, monitoramento e integração, enfrentamos o crime de tráfico de drogas na região”, pontuou Jurandir Rodrigues. 

Bruno Rezende, titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida, em Montes Claros, destacou os índice de apuração de crimes de homicídios na forma tentada e consumada no município. “A taxa de elucidação encontrase acima da média nacional, os resultados são reflexos da excelência na apuração dos casos, com investigações qualificadas, e do empenho de cada policial civil em manter a paz social e a ordem pública, contribuindo com a redução da criminalidade, permitindo o controle desse tipo penal no Norte de Minas”, destacou. 

Ao final, foi apresentado resumo dos principais indicadores institucionais. O Chefe do 11º Departamento, delegado Jurandir Rodrigues César Filho, esclareceu que mesmo diante de um cenário de pandemia, a PC atuou incessantemente na região, seguindo todos os protocolos de segurança no enfrentamento à Covid-19, mas também cumpriu a sua missão de realizar a investigação criminal de forma eficiente e eficaz, primando pela transparência e publicidade dos trabalhos, apresentando o seu portfólio de atribuições, dos serviços de cidadania (identidade, controle de veículos e condutores) à apuração de infrações penais por meio desse balanço anual. “A busca pela excelência na prestação dos serviços reflete o nosso objetivo de propiciar um atendimento de qualidade e resultados com foco na segurança dos norte-mineiros”, concluiu o Chefe do 11º DPC. 

 

Atendimento Online pelo WhatsApp