22/10/2021 07:09

COMENTÁRIOS BENEDITO SAID

ABA - Os tupinambás que dançaram em 1550, em Rouen, na festa da rainha Catarina de Médici eram pitorescos e seus costumes intrigavam os franceses. Agora brasileiro vai comer pizza em calçada de Nova York. FOGO - O número 181 está à disposição de quem deseja e tem a obrigação de denunciar incêndios e queimadas criminosas. No norte de Minas, ação governamental, envolvendo também Polícia Militar e Ministério Público, além de força-tarefa de brigadistas, IEF e afins, já detectou mais de 100 mil hectares consumidos pelas chamas. São 49 ocorrências principais, todas mapeadas pelo Instituto Grande Sertão, com atuação direta do Ministério Público, para se chegar aos criminosos. Mas a participação da sociedade é valiosa para obstruir a ação criminosa contra a natureza. AÇÃO - Conforme o Ministério Público, no norte de Minas existem ainda 40 mil hectares ardendo em duas outras unidades, o que está sendo investigado para saber sobre causadores de tanta dor. Vale lembrar, que grupos ligados a sem-terra destruiu região acima de Montalvânia, perto de Porto Agrário, beira dos rios Coxá e Carinhanha, retirando madeira e colocando fogo em tudo que encontrou pela frente. Tratase de região de veredas, cavernas de desenhos rupestres e cursos de água encantadores, antes praticamente livre da ação humana. DOCE - Será realizado em outubro o 18º Seminário Mineiro de Apicultura em Montes Claros. Desta vez, o encontro será hibrido, com 130 pessoas presentes e os demais em sistema on-line. Há 15 anos, com investimentos que já alcançaram a marca de 12 milhões de reais, a Codevasf, em parceria com Senar, Emater, Sebrae e apicultores da região, incentiva a criação de abelhas, domínio de técnicas para gerar emprego e renda no campo, com aporte de preservação da natureza. Hoje, já existe a Cooperativa de Apicultores, que envolve pequenos produtores rurais de 25 municípios da região, com produção de variedade de méis para consumo nacional e internacional. BENEFÍCIO - Na cidade de Bocaiuva, com investimentos governamentais canalizados pela Codevasf, foi montada usina para beneficiar o mel, entreposto com estrutura para comercialização, o que agrega valor e ampliar mercado de consumo. A variedade de méis é um espetáculo à parte, a depender da florada, como pequi, aroeira, café, velame, e por aí vai. Presente na Europa, em países como Portugal e Bélgica, uma equipe de comércio da União Europeia irá a Bocaiuva conhecer a cadeia produtora de mel, principalmente de aroeira, cujos benefícios à saúde são difundidos no exterior. Querem conhecer as árvores, a extração, espaço, produção e o que modificou na vida das pessoas produtoras. A Cooperativa agora espera receber o selo de qualidade oficial, o que garantirá certificação para expandir produção e comércio. NOVO - A Codevasf atua para solidificar a escola de queijeiros em Minas Gerais. Será a primeira no estado e funcionará em São Roque de Minas, região da Serra da Mantiqueira. Produtores de Porteirinha, município que trabalha para alcançar selo de qualidade para expandir produção e comércio de queijo artesanal, vão participar da escola quando estiver funcionando.

Atendimento Online pelo WhatsApp