05/07/2022 04:19

Atenção Hospitalar repassa R$ 5,2 mi a 8 cidades

image

Oito municípios do Norte de Minas serão contemplados com recursos superiores a R$ 5,2 milhões destinados ao custeio de ações para implantação da Política de Atenção Hospitalar – Valor em Saúde. Os recursos são oriundos de emendas parlamentares e estão previstos na Resolução 8.149, publicada dia 16 de maio pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG). 

Na área de jurisdição da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, cinco municípios vão receber R$ 3.830 milhões: Francisco Sá (R$ 1,4 milhão), Bocaiúva (1,020 milhão), Coração de Jesus (R$ 650 mil), Salinas (R$ 500 mil) e Janaúba (R$ 260 mil). Outros três municípios da área da Gerência Regional de Saúde de Januária serão contemplados R$ 1,4 milhão: Januária (R$ 807,8 mil), Brasília de Minas (R$ 300 mil) e São Francisco (R$ 299,8 mil). 

Superintendente Regional de Saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques avalia que “o repasse de recursos para os hospitais de municípios polo de microrregiões possibilita o fortalecimento e a ampliação de serviços prestados à população, reduzindo com isso o fluxo de pacientes para cidades de maior porte”. 

MÓDULOS - A nova Política de Atenção Hospitalar começou a ser implementada pela SES-MG em 2021 e foi desenvolvida em três módulos: Valor em Saúde envolvendo hospitais de relevância microrregional, macrorregional e estadual, com aumento da resolubilidade e qualificação; Módulo Hospitais Plataforma, com notória possibilidade de contribuição para as Redes de Atenção à Saúde a partir da vocacionalização e necessidades identificadas nos territórios; Módulo Novos Prestadores, que constitui estratégia estadual de acesso a procedimentos eletivos, priorizando procedimentos cirúrgicos com maior frequência e tempo de espera. 

Na implantação da nova política de atenção hospitalar a Rede de Atenção à Saúde (RAS) será qualificada, com o incremento da assistência e ampliação do acesso da população ao SUS. A proposta também avança no contexto da divulgação dos pontos de atenção e dos serviços prestados pela RAS, para que os usuários possam se nortear. Quanto às instituições, especialmente as de pequeno porte e parte das de médio porte, que anteriormente não eram contempladas pelas políticas hospitalares, passam a ser amparadas com recursos que vão proporcionar a sustentabilidade financeira. 

A estrutura proposta pela nova Política de Atenção Hospitalar leva em consideração as necessidades da população, corrigindo disparidades na alocação de recursos entre as regiões e impasses metodológicos para mensurar a eficiência dos investimentos.

Atendimento Online pelo WhatsApp