05/07/2022 03:44

Norte-mineira é campeã mundial de vôlei de praia

image

Um domingo de gala para o vôlei de praia brasileiro. Na arena do Foro Itálico, em Roma, Duda e a norte-mineira Ana Patrícia, natural de Espinosa, reinaram soberanas e conquistaram a medalha de ouro no Campeonato Mundial, torneio mais importante da temporada. O título veio com uma vitória por 2 sets a 0 (21/17 e 21/19) sobre as canadenses Bukovec e Brandie. 

No masculino, mais duas medalhas. Depois de uma campanha brilhante Vítor Felipe e Renato foram superados apenas pelos campeões olímpicos Mol e Sorum, da Noruega, e ficaram com a prata: 15/21 e 16/21. André e George completaram a festa brasileira: levaram o bronze ao vencer os americanos Schalk e Brunner, de virada, por 2 sets a 1 (15/21, 21/17 e 15/11). O Brasil segue como o maior vencedor do Mundial, com 13 títulos, e o maior medalhista, com 34 pódios. 

“Estamos muito orgulhosos e felizes com o resultado do Brasil em Roma. O vôlei de praia brasileiro sempre foi referência em todo o mundo e mostra que continuará sendo. Parabéns a todos os medalhistas e aos demais atletas que participaram dessa belíssima campanha. Na disputa masculina, por exemplo, o Brasil ocupou metade das vagas das quartas de final. Nenhuma dupla foi eliminada na fase de grupos. A CBV continuará seu trabalho de suporte, monitoramento e desenvolvimento dessas e de novas duplas. Este ano, criamos a comissão técnica permanente, que vem trabalhando bem próxima das equipes das duplas brasileira. O Campeonato Brasileiro é um dos mais disputados do mundo, o que faz com que os atletas precisem jogar sempre em alto nível. O resultado em Roma mostra que estamos em um bom caminho neste ciclo olímpico”, diz Guilherme Marques, gerente de vôlei de praia da CBV. 

Além de Guilherme Marques, a CBV enviou a Roma o gerente de seleções de praia, Pedro Paladino; o supervisor da comissão técnica permanente da CBV, Leandro Brachola; e os fisioterapeutas Eduardo Ruhling e Vinicius Marques, que deram suporte aos atletas durante a competição. A CBV também investiu cerca de R$ 600 mil especificamente na viagem da dos atletas brasileiros para o Campeonato Mundial, proporcionando transporte aéreo, hospedagem e alimentação para todas as duplas classificadas e seus técnicos. 

“Estou muito feliz. É um título muito sonhado e conseguir realizar esse objetivo é algo incrível. Conseguimos colocar o nosso trabalho em prática em todos os jogos. Voltar a jogar com a Pati também é algo especial, nos divertimos muito juntas. Tenho que agradecer a Pati, a toda a nossa comissão técnica, a CBV, ao Praia Clube, nos sos familiares e torcedores brasileiros que tanto nos incentivaram na competição”, disse Duda. “Foi um jogo tenso como uma final de Campeonato Mundial. Conseguimos colocar um excelente voleibol dentro de quadra. Estou muito feliz pela nossa trajetória e parceria. Esse título é muito especial", completou a espinosense Ana Patrícia.

Atendimento Online pelo WhatsApp