09/08/2022 09:02

Rural exalta apoio de Bolsonaro ao agro

image

Ao discursar na solenidade de abertura oficial da 48ª edição da Exposição Agropecuária Regional de Montes Claros (Expomontes), na noite da última sexta-feira, no Parque de Exposições João Alencar Athayde, o presidente da Sociedade Rural, José Moacyr Basso, destacou o apoio do governo federal ao agronegócio. Disse que o presidente Jair Bolsonaro, do PL, tem adotado medidas concretas de apoio aos produtores. Além disso, cobrou do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), em Montes Claros, ações concretas de combate aos efeitos da seca na área mineira da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). 

“Agradecemos ao governo federal, do nosso presidente Jair Bolsonaro, que sempre teve um olhar de cuidado para o homem do campo, evitando invasões de terras, criando condições para o escoamento da produção, seja com estradas asfaltadas, seja com rodovias ou portos. E também na política para compra de fertilizantes, colocando seus produtores acima dos conflitos”, afirmou o dirigente. 

O presidente da Sociedade Rural também destacou também ações do governo Romeu Zema, do Novo, com o propósito de recolocar o Estado nos trilhos do desenvolvimento socioeconômico. “E possível perceber ainda mudanças radicais no estado! Saímos de um governo altamente corrupto para uma administração séria e austera, que está colocando em ordem as contas estaduais. Vivemos um momento muito melhor que antes, mas existem problemas, principalmente no âmbito do estado”, afirmou. 

Segundo ele, “enquanto o governo federal combate a redução do velho inimigo da produção conhecido como custo brasil, melhorando não só a infraestrutura necessária ao agro, mas também o ambiente de negócios, com menos burocracia e restrições a produção, vemos aqui no nosso estado um movimento contrário, fruto de esforço tímido e uma ação desastrosa. Cada vez mais ouvimos no meio rural a expressão custo Minas, usada para explicar a contrastante diferença de desenvolvimento econômico e social existente entre as cidades da região e aquelas do Sul da Bahia”. 

De acordo com o líder ruralista, “essa diferença é estarrecedora, pois sabemos que, tanto lá como aqui, o clima é o mesmo e os incentivos para o semiárido também. Minas perde duas vezes, perde ao impedir que o produtor rural expanda ou melhore suas condições de produção. E perde também quando empresários de fora se assustam com toda essa situação e decidem investir logo depois da divisa do estado. Precisamos mudar essa situação e temos o apoio da nossa Faemg que inova e se aproxima cada vez mais da sua base”. 

SECA – O líder ruralista pediu mais empenho do governo federal, através do Departamento de Obras contra as Secas (Dnocs) em Montes Claros, através de ações concretas que visam minimizar os efeitos da seca na área mineira da Sudene, que começa a atingir sua fase mais crítica, neste momento, com a falta de água para o consumo humano e de animais. Além disso, José Moacyr Basso, voltou a pedir que o governador Romeu Zemaue apoie os produtores rurais do Norte de Minas. ”É emocionante ver a população de volta ao nosso parque e poder assistir aos grandes shows já conhecidos nacionalmente e que serão realizados em Montes Claros até domingo, dia 10", concluiu.

Atendimento Online pelo WhatsApp